VACADA GUZERÁ DO IPA EM SERRA TALHADA COMEÇA A MOSTRAR O SEU POTENCIAL GENÉTICO
17/08/2018 | 06h:28

 

Desde o ano de 1975 o IPA/Estação Experimental Lauro Ramos Bezerra – Serra Talhada, dispõe de um rebanho bovino da raça Guzerá. Tal lote de animais foi proveniente de Cruz das Almas na Bahia. Com o advento da EMBRAPA, foi adquirido uma propriedade naquele município com a finalidade de dela fazer uma estação de pesquisa daquele órgão. Junto com a propriedade que foi adquirida de porteira fechada, existia um lote de gado da raça Guzerá, linhagem "JA" e parte foi doado ao IPA – Instituto Agronômico de Pernambuco. Posteriormente esse gado depois de ter passado por outras Estações de Pesquisa do IPA, veio parar na Estação de Serra Talhada, onde ainda hoje preservamos.

É bom que se diga que esse gado ao longo dos anos sofreu de todos os lados. Sofreu influencia genética de outros criadores do Brasil, melhorando ainda mais a sua base "JA", e sofreu perseguições por parte de pessoas do próprio IPA que não vem nesse gado uma ferramenta de prosperidade genética e financeira para a bacia leiteira de Pernambuco. Num artigo escrito pelo Médico Veterinário/Professor/criador, JOSÉ BEZERRA, da cidade de Garanhuns, o mesmo teceu o seguinte comentário a respeito do Guzerá: "A TÃO COMBALIDA PECUÁRIA DE LEITE PERNAMBUCANA, A SUA RECUPERAÇÃO TERÁ QUE PASSAR PELA MESTIÇAGEM COM O GUZERÁ".

O Senhor José Bezerra fez esse comentário no nosso BLOG logo após ter visitado a Estação Experimental Lauro Bezerra ao lado do também Médico Veterinário João Fernandes em julho de 2017. A um pouco mais de tempo no ano de 2012, em uma visita do Senhor LAURO FRAGA, Técnico e um dos Gerentes da ABCZ – Associação Brasileira dos Criadores de Zebu, à Estação de Serra Talhada disse: "VOCÊS TEM GADO PARA PARTICIPAR DE QUALQUER EXPOSIÇÃO NO BRASIL"

Hoje estamos colhendo os frutos da insistência em manter esse importante núcleo de gado Guzerá. Temos várias vacas com produção média de 15,0 quilos de leite/dia com suplementação mínima de proteinados. O nosso manejo em pouco difere do manejo do produtor rural, pois acreditamos que temos que dar ao nosso gado tratamento compatível com o que ele deverá ter nas pequenas propriedades de criadores para onde serão o seu destino uma vez vendidos a preços módicos com a finalidade de melhoria genética dos rebanhos desses criadores.

Não obstante o acima citado de lutas e ganhos dessa importante raça nas dependências da Estação Experimental do IPA de Serra Talhada, aqui e acolá se levantam alguns "ILUMINADOS" tentando acabar com o gado Guzerá no IPA na Estação de Serra Talhada. Eu sou contra e sempre me posicionarei contra. Pois as nossas vacas Guzerá estão muitas delas na mesma Estação Experimental competindo com as da raça Girolando, emendando os bigodes em produção de leite/dia. Uma dessas vacas com produção média de 15,0 kg/dia é a "ECLIPTICA PAPI 1437" filha de Quimão de Taboquinha Tabo 866 e Agrária PAPI A1356. É bom lembrar que sua mãe é filha do touro "URUGUAIO A-1014" que deu excelente contribuição genética para o nosso rebanho.

Pois bem, não obstante tudo isso, finalizo dizendo que defendi, defendo e defenderei o gado Guzerá do IPA, por se tratar de ser um patrimônio da Sociedade Pernambucana e Brasileira. Por se tratar de um banco genético dos mais valiosos da raça em solo Brasileiro. Vivo em relação ao gado Guzerá do IPA como se diz na linguagem de guerra, "COM A FACA NOS DENTES PARA A BATALHA". Estou pronto para a batalha, estou pronto para a guerra!

Blog do Charles Cabral

 

https://charlescabral-ipa.blogspot.com/2018/08/vacada-guzera-do-ipa-em-serra-talhada.html

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

linksÚTEIS

Copyright © 2017 | Todos os direitos reservados ao Sintape