Rachaduras no prédio da Apac preocupam servidores e Sintape exige providências por parte do Governo
19/12/2019 | 06h:37

 

Mais de 100 rachaduras no prédio onde funciona a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) e mais dois órgãos do Governo do Estado, estão preocupando os servidores da casa. O Sintape, sindicato que representa os trabalhadores, exige providências urgentes das autoridades governamentais para evitar uma tragédia.

A entidade sindical foi acionada pelos próprios servidores e já se reuniu com a presidência do órgão para exigir medidas urgentes que resolvam o problema. O sindicato também comunicou a situação ao Ministério Público e à Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe), reivindicando ações imediatas. Do primeiro, não recebeu qualquer resposta. Já a segunda atendeu ao pedido do Sintape e foi até o local fazer uma perícia. No laudo, atestou que o prédio necessita de reforma e que as rachaduras merecem atenção.

A responsável pelo setor de licitação e obras disse em reunião com o sindicato que a autarquia não dispõe de recursos suficientes para realizar a obra, no caso, contratar por meio de licitação uma empresa que o realize. Enquanto isso, os trabalhadores temem pelo pior e o sindicato tem pressionado a presidência da Apac para uma reação. Algumas salas já foram esvaziadas e algumas bases de sustentação colocadas como medidas preventivas emergenciais.

"Uma das saídas seria retirar o pessoal que trabalha no prédio e relocar para outro lugar até que uma perícia técnica assegurasse as condições do imóvel, e em caso de ameaças na sua estrutura, o Governo o interditasse para reforma. O que não pode é deixar os trabalhadores numa situação dessas", ponderou Antônio Angelim diretor do Sintape.

O edifício, que fica na Avenida Cruz Cabugá, bairro de Santo Amaro, no Recife, é administrado pela Secretaria de Infraestrutura do Estado, que também já foi informada da situação pelo sindicato.

Redação Sintape

 

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

linksÚTEIS

Copyright © 2017 | Todos os direitos reservados ao Sintape