sede2

Mobilizações do Grito da Terra em frente ao Sintape.

ASSIM como outras instituições representativas da classe trabalhadora, o Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Agricultura e Meio Ambiente do Estado de Pernambuco (Sintape) nasceu do bojo das lutas democráticas de 1988 e 1989. Naqueles anos iniciava-se

a vigência da Constituição Brasileira de 1988, chamada a Constituição Cidadã, assim como, no ano seguinte, Pernambuco promulgaria sua Carta Magna estadual.
Forjado na experiência de servidores que enfrentaram tempo difíceis no Regime Militar, o Sintape nasceu em 6 de outubro de 1989 para representar, agora de maneira constitucional, os servidores públicos da agricultura e do meio ambiente no Estado de Pernambuco.Primeira sede do Sintape, estrategicamente localizada em frente à antiga Emater, cuja categoria foi uma das primeiras representadas pelo sindicato.

O Sintape iniciou seu trabalho com a base dos servidores da extinta Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Pernambuco (Emater), do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) e da Secretaria de Agricultura.

Mais tarde traria para suas fileiras servidores da antiga Companhia Pernambucana de Recursos Hídricos (CPRH), da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro), da empresa estatal Pernambuco Participações e Investimentos S/A (Perpart) e da Secretaria de Agricultura do Governo do Estado.

sede1

Desde sua gênese, o Sintape envolveu-se com lutas mais amplas da sociedade brasileira, no entanto, não deixando de manter atenção às pautas mais urgentes da categoria. Assim, o Sintape esteve nas principais manifestações trabalhistas, mas também de caráter popular e democrático no Brasil nos últimos 24 anos como: as greves gerais de 1989, a campanha cidadã pelo impeachment do ex-presidente Collor, a participação na Campanha Contra a Fome, a luta contra o recrudescimento das políticas neoliberais no governo de Fernando Henrique Cardoso, a Marcha dos 100 mil a Brasília em 1999, a luta contra a reforma da previdência no Governo Lula, o apoio ao Plano Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural, dentre muitas outras lutas.

Nesses 24 anos de jornada, o Sintape tem ocupado espaços de representação na central sindical ao qual é filiado, a CUT (Central Única dos Trabalhadores), assim como em sua federação, a Faser (Federação Nacional dos Trabalhadores da Assistência Técnica e do Setor Público Agrícola do Brasil).

Ainda no âmbito nacional, o Sintape está envolvido na luta pela ampliação da extensão rural em todo o país, participando da formulação de documentos, participação ativa em câmaras técnicas e contribuindo decisivamente para a nova Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural nos governos Lula e Dilma.

sede3

Primeira diretoria do sindicato. Em destaque, o fundador e presidente do Sintape Ruy Carlos.

Na sociedade civil organizada e nas instâncias de consulta e deliberação governamental, o Sintape tem cadeira permanente no Conselho Estadual de Meio Ambiente, Conselho Estadual de Agricultura, Fórum de Servidores Públicos de Pernambuco, mesas de negociação salarial, conselhos municipais e organizações sem fins lucrativos.

Hoje, plenamente estabelecido em todo o Estado de Pernambuco, mantém uma rede de delegados e diretores por todas as regiões, garantindo a voz da base e a participação, através dos nossos fóruns internos, plenárias e assembleias.

O Sintape orgulha-se de sua trajetória, suas lutas e de representar uma parcela importante da base de servidores públicos responsáveis pelo cumprimento de diversas determinações da Constituição Federal, pela fiscalização e preservação do meio ambiente, pela assistência ao agricultor e pela elaboração das políticas públicas que estão fazendo do Brasil ser um país soberano e melhor de se viver.

linksÚTEIS

Copyright © 2017 | Todos os direitos reservados ao Sintape