Governo fecha Acordo do IPA, mas trava homologação. Em resposta, categoria decide por paralisação.
17/10/2019 | 09h:02

Onde já se viu isso?

Governo fecha Acordo do IPA, mas trava homologação. Em resposta, categoria decide por paralisação.

 

 

 

A operação padrão, denominada “IPA Portas Fechadas”, terá início no dia 29. Trabalhadores deram um prazo até dia 25 para uma definição. As paralisações serão de advertência.
Em assembleias realizadas terça, 15, em Serra Talhada, e quarta, 16, no Recife, os empregados do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) decidiram parar as atividades todas as terças-feiras, a partir do dia 29 deste mês, numa operação padrão, denominada “IPA Portas Fechadas”, em protesto contra a atitude do Governo do Estado em não encaminhar o Acordo Coletivo de Trabalho dos empregados da empresa pública para a homologação. As paralisações serão de advertência. O ACT, cuja proposta partiu da esfera governamental, foi aprovado no final de junho deste ano em assembleias realizadas nas duas cidades, nos dias 26 e 27.

A categoria deu um prazo até o próximo dia 25 para que a Secretaria de Administração (SAD) destrave o documento e encaminhe para a presidência do Instituto, responsável pela homologação. Se até esta data o Acordo não for efetivamente homologado, os trabalhadores vão iniciar a operação padrão e o sindicato vai acionar a imprensa de todo o Estado, para denunciar a postura do Governo para com os trabalhadores da autarquia.

As paralisações nas terças-feiras vão fechar todas as unidades de pesquisa e escritórios regionais do IPA no Estado. Todos os serviços realizados pelos extensionistas e pessoal do administrativo ficarão parados neste dia. Caso não haja resposta por parte do Governo, o movimento paredista deverá ser ampliado e a categoria não descarta uma greve geral. Além das paralisações, outros atos serão organizados pelos trabalhadores, incluindo manifestações em frente à SAD e no IPA.

O que está acontecendo na SAD, segundo o presidente do Sintape, Adailton Melo, é inacreditável. O ACT foi encaminhado pela entidade sindical no dia 1º de julho ao IPA, que avalizou e encaminhou à Secretaria de Administração para as devidas assinaturas. Porém, o que deveria ser rápido, já que a proposta do Governo foi aceita, se arrasta por três meses. E ninguém dá uma resposta lógica para o entrave.

“O pior e mais desgastante nisso tudo é que a proposta é vergonhosa e contempla apenas alguns itens de repercussão financeira, sem qualquer reajuste salarial. Os trabalhadores do IPA já vão entrar no sexto ano sem reposição. Os pontos apresentados não foram os pretendidos pela categoria, muito menos os defendidos pelo Sintape, porém, tendo em vista a situação econômica e o cenário político atuais do país, os trabalhadores decidiram aceitar e evitar mais adiamento nas negociações, o que tem sido uma prática muito comum no Executivo Estadual. Talvez a intenção seja vencer todos pelo cansaço. Não estamos lutando por reajuste ou qualquer outra reivindicação salarial, apenas que o Estado cumpra o que propôs. Que tenha palavra e acabe com esse desgaste. O sindicato tem cobrado diariamente a todos os envolvidos, e nada!”, lamentou Adailton Melo.

Para a categoria, o posicionamento do Governo mostra sua ineficiência e falta de compromisso para com os empregados estaduais do IPA e quase todos os servidores do serviço público estadual. Confirma ainda uma irresponsabilidade sem tamanho para com os trabalhadores de uma forma geral. Desrespeito e falta de ética. “Esta morosidade não pode mais atrapalhar a vida do trabalhador. Ele merece respeito! Segundo a Secretaria de Administração, os Acordos já passaram pela Comissão de Política Pessoal (CPP) e aguardam outras assinaturas. O motivo do atraso em assinar é um mistério para nós” concluiu o presidente do sindicato.

Sindicato forte, depende da união da base!

Redação Sintape

 

 

 

 

 

 

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

linksÚTEIS

Copyright © 2017 | Todos os direitos reservados ao Sintape