Audiência Pública na Alepe vai discutir situação do IPA
09/04/2018 | 09h:53

 

É importante a participação maciça dos nossos colegas do IPA e a articulação deles junto às associações e sindicatos de Agricultores para o comparecimento na audiência, no próximo dia 16.

A situação precária do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) e o investimento na extensão rural, pesquisa e recursos hídricos no Estado vão entrar nos debates dos deputados estaduais em Audiência Pública, no próximo dia 16, às 9h, na Assembleia Legislativa (Alepe). O espaço para tratar os temas foi fruto da articulação do Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Agricultura e Meio Ambiente de Pernambuco (Sintape) com a deputada estadual, Tereza Leitão (PT), e a Comissão de Agricultura da casa.

A entidade sindical espera reunir um grande número de empregados do Instituto e representantes de Associações e Conselhos de agricultores na Audiência. “É importante que os trabalhadores do IPA marquem presença no evento. Será uma ocasião especial para os parlamentares tratarem o tema com um olhar mais profundo sobre a real situação do Instituto. Enxergarem o quadro caótico em que se encontram as unidades do IPA espalhadas pelo interior. Condições de trabalho penosas para muitos dos companheiros, que executam suas atividades sem o mínimo respeito por parte do Governo estadual. Precisamos elevar o tom da nossa voz e exigir do Governo respeito com o IPA e a extensão rural no nosso Estado!”, defendeu o presidente do Sintape, Adailton Melo.

Até quando o Governo do Pernambuco vai tratar com descaso os que são responsáveis pela pesquisa, extensão rural e obras de infraestrutura de recursos hídricos no Estado? É uma questão que o sindicato quer ver resolvida. Pelo menos respondida. Uma vez que as tentativas de falar com o Executivo Estadual para tratar das reivindicações dos trabalhadores têm sido ignoradas.

“Não é só o descaso com a instituição que lamentamos, mas a falta de respeito por profissionais tão essenciais para a pesquisa, a extensão rural e obras de infraestrutura de recursos hídricos. Sem investimentos é impossível oferecer atendimento de qualidade às 275 mil famílias beneficiadas com os programas desenvolvidos pelos técnicos e demais profissionais nas ações de Ater. É um absurdo o que temos testemunhado nas unidades do IPA!”, lamentou Adailton.

Os trabalhadores do Instituto estão sem reposição salarial há três anos. Em 2018, o congelamento dos salários completa quatro. Não bastasse a falta de reajuste, os servidores ainda acumulam situações críticas em seus ambientes de trabalho. Entre as reivindicações: reestruturação das Estações Experimentais, Gerências Regionais e Escritórios Locais; efetivação e homologação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS); investimentos nas ações de Ater e melhores condições de trabalho.

Sindicato forte depende da união da base!

Redação Sintape

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

linksÚTEIS

Copyright © 2017 | Todos os direitos reservados ao Sintape